TRANSPORTE DE SEDIMENTOS INDUZIDO POR ONDAS NO SEGMENTO NORTE DA ENSEADA DA BAÍA FORMOSA, RIO DAS OSTRAS, ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Autores

  • Daniel Fernandes Universidade Federal do Rio de Janeiro/ Aluno do programa de pós-graduação do departamento de geologia e pesquisador
  • João Wagner Alencar Castro Museu Nacional-Universidade Federal do Rio de Janeiro/ Professor Pesquisador

DOI:

https://doi.org/10.20502/rbg.v21i4.1900

Palavras-chave:

modelagem ambiental

Resumo

As mudanças morfológicas em ambientes costeiros são produtos de interações entre o oceano e o continente, onde as ondas são o principal agente responsável pelo “input” de energia no transporte de sedimentos. O presente manuscrito tem como objetivo quantificar taxas de transporte de sedimentos induzidos por ondas nas praias da Tartaruga e Abricó, segmento norte da Enseada da Baia Formosa, Rio das Ostras - Estado do Rio de Janeiro. Como procedimento metodológico realizou-se levantamento histórico do clima de ondas e tratamento estatístico de dezesseis amostras de sedimentos coletados na zona de surfe (antepraia) em diferentes datas. Os principais parâmetros sedimentológicos utilizados foram o diâmetro mediano do grão (D50), grau de seleção (σ) e grau de assimetria (Sk). As estimativas de taxas de transporte de sedimentos foram obtidas através da expressão matemática proposta por KOMAR & INMAN (1970) também conhecida como fórmula do CERC (1984). Resultados obtidos sugerem predomínio de transporte residual de norte para sul, com taxas entre 75.000 m3.ano-1 a 515.000 m3.ano-1. A disparidade entre os valores obtidos associa-se a frequência e alturas de ondas significativas em águas profundas (H0) para os diferentes quadrantes e também às variações texturais dos sedimentos analisados. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Fernandes, Universidade Federal do Rio de Janeiro/ Aluno do programa de pós-graduação do departamento de geologia e pesquisador

Graduado em Geologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2007). Estagiou no Laboratório de Geologia Costeira, Sedimentologia e Meio Ambiente - LAGECOST (Museu Nacional / UFRJ). Participou como colaborador do Projeto Erosão Costeira do Estado do Rio de Janeiro - Sigma 10.781 com atuação em perfís de praia e análise - interpretação de dados granulométricos. Tem experiência na área de análise ambiental e pareceres técnicos em áreas de terrenos sedimentares principalmente em praias arenosas. Concluiu mestrado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2010) intitulado como O Processo Erosivo na Praia das Tartarugas - Rio das Ostras / Estado do Rio de Janeiro: Dinâmica Sedimentar e Controle Ambiental. Trabalhou com licenciamento ambiental na FEEMA e INEA entre os anos de 2008 a 2011, especificamente nos setores de áreas contaminadas e resíduo. Ingressou na indústria petrolífera no ano de 2011 e até 2017 trabalhou como geólogo na atividade offshore. Atualmente participa como doutorando no programa de pós graduação em Geologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em tempo integral como bolsista CNPq.

João Wagner Alencar Castro, Museu Nacional-Universidade Federal do Rio de Janeiro/ Professor Pesquisador

Geólogo: Pesquisador do CNPq. Doutor em Geomorfologia (Geociências - Conceito CAPES 7) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2001). Mestre em Sedimentologia - Geologia pela Universidade Federal de Pernambuco (1995); Especialista em Avaliação de Impacto Ambiental - COPPE/UFRJ (1987) e Educação Ambiental - UNB (1986), Professor Associado da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Coordenador do Laboratório de Geologia Costeira, Sedimentologia & Meio Ambiente do Departamento de Geologia & Paleontologia do Museu Nacional - UFRJ; Professor do Departamento de Geologia - IGEO/ UFRJ. Autor de livros e de diversos trabalhos em revistas cientificas internacionais e nacionais. Leciona as disciplinas de Geologia Marinha, Geologia Costeira, Sedimentologia e Geologia Ambiental nos cursos de graduação e pós-graduação em geologia e geociências da UFRJ. Desenvolve pesquisas cientificas, tanto no Brasil como na Africa. Suas principais áreas de interesse e atuação são: Estudos dos processos eólicos em dunas costeiras; Estudo das variações do nível do mar durante o Holoceno até os dias atuais; Erosão costeira; Mudanças globais e impactos ambientais; Erosão e assoreamento em corpos lacustres e barragens; Transporte de sedimentos em praias e áreas portuárias; Sedimentação carbonática holocênica e ambientes análogos; Contaminação de praias por derivados de petróleo; e Estudos, perícia e avaliação de impactos ambientais em terrenos sedimentares. Sócio da International Associacion Sedimentologist - IAS, da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário - ABEQUA e da Sociedade Brasileira de Geologia - SBGeo. Ex Vice Presidente da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário - ABEQUA. 

Downloads

Publicado

01-10-2020

Como Citar

Fernandes, D., & Castro, J. W. A. (2020). TRANSPORTE DE SEDIMENTOS INDUZIDO POR ONDAS NO SEGMENTO NORTE DA ENSEADA DA BAÍA FORMOSA, RIO DAS OSTRAS, ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Revista Brasileira De Geomorfologia, 21(4). https://doi.org/10.20502/rbg.v21i4.1900

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)